'Mais que futebol, um novo futuro': tudo sobre a Taça das Favelas Paraná 2019

 

Taça das Favelas chega a Curitiba com alegria e 20 times para a disputa da segunda edição

A competição terá 16 participantes no Masculino e 4 times no Feminino. O evento para o sorteio foi na RPC, na noite desta sexta-feira, e teve clima de muita descontração.

A Taça das Favelas, organizada pela Central Única das Favelas (CUFA), chegou a Curitiba de forma oficial. Na noite desta sexta-feira, na Rede Paranaense de Comunicação (RPC), foi realizado o sorteio das chaves, com muita alegria e animação dos participantes.

No dia 20 começa a grande competição, entre 16 equipes masculinas e quatro times femininos, com a abertura no estádio Vila Olímpica, do Paraná Clube. A final está programada para o dia 20 de agosto.

O evento para o sorteio contou com a apresentação das jornalistas Janaína Castilho e Camila Barbieri. O comentarista Cristian Toledo também esteve presente, assim como o jogador Arilton, atualmente no Mixto-MT, mas que passou pelas categorias de base Trio de Ferro e foi revelado pelo Coritiba.

A fórmula do masculino é uma divisão entre Curitiba e Colombo, com oito times para cada lado. Desses, são formados quatro grupos de quatro times, divididos em A, B, C e D. A disputa é no mata-mata e o campeão de cada chave entre as cidades se enfrenta na grande final. Já no feminino, as quatro equipes jogam entre si para sair a campeã.

 
Taça das Favelas: finais masculina e feminina serão disputadas neste sábado (31)
3 minExibição em 30 Ago 2019
Os jogos serão no estádio Major Antônio Couto Pereira.

"Com entrada gratuita, Couto Pereira recebe final da Taça das Favelas"

“O Couto Pereira será o palco da final da Taça das Favelas, neste sábado (31). A primeira decisão será do futebol feminino, às 9h30, entre Parolim x Paloma. Já o título do masculino será entre Butiatumirim x Pilarzinho, às 13h. A entrada para o evento é gratuita.

Esta é a segunda edição da Taça das Favelas promovido pela Central única das Favelas (Cufa), com apoio do governo do estado. Participam jovens nascidos entre 2002 e 2005 (14 e 17 anos).

16 times da Região Metropolitana de Curitiba disputaram o torneio masculino, enquanto quatro equipes foram formadas na modalidade feminina. Segundo a organização do evento, os ex-jogadores Alex e Lúcio Flávio marcarão presença no sábado.

SERVIÇO
Data: sábado (31.08)
Local: Estádio Couto Pereira – Coritiba
Endereço: Rua Ubaldino do Amaral, 37 – Alto da Glória
Horários:
8h30 – Abertura dos portões 5 e 7 – Setor Pro Tork
9h – Cerimônia de abertura
9h30 – Final Feminina – Parolim x Paloma
11h – Amistoso – Amigos das Favelas
13h – Final Masculina – Butiatumirim x Pilarzinho
Entrada Gratuita”
reservados.

Taça das Favelas no Couto Pereira

Estádio Couto Pereira recebeu as finais da Taça das Favelas neste fim de semana
Há 17 dias — 31/08/2019 19:24:00

O estádio Couto Pereira, do Coritiba, recebeu neste sábado as grandes finais da Taça das Favelas o maior torneio de futebol nesta modalidade, do mundo. Os duelos que decidiram os campeões aconteceram pela manhã no Alto da Glória e movimentou o estádio alviverde

No feminino a final foi disputada entre as equipes Parolim e Paloma. Melhor para a equipe Paloma que fez bonito. As meninas aplicaram uma goleada por 4 a 0 e conquistaram a taça em grande estilo, fazendo muita festa no gramado do Couto Pereira.

Já no masculino, Butiatumirim e Pilarzinho se enfrentaram no último jogo da competição. Em uma partida mais equilibrada, o o Butiatumirim venceu por 3 a 1 e ficou com o troféu.Esta é a 2ª edição do evento no Paraná, organizado pela Central Única das Favelas (CUFA), com apoio do Governo do Estado, por meio da Esporte Paraná.

INCLUSÃO DE JOVENS – Este ano, disputaram o torneio dezesseis equipes masculinas e quatro femininas. Em atividade desde 2012, a Taça das Favelas tem edições anuais e reúne jovens nascidos entre 2002 e 2005 nesta temporada, com idade entre 14 e 17 anos.

A competição visou contribuir para a promoção da inclusão social através do esporte, influenciando positivamente a realidade de crianças e jovens brasileiros. Uma oportunidade de promover a integração das comunidades, a ressignificação do território e o fortalecimento da autoestima da juventude das favelas.

Rolar para cima